• Orc'estra Gamificação

O papel da gamificação na cultura organizacional de sua empresa


A cultura organizacional é algo bastante buscado por empresas e companhias de todo o mundo, tornando-se um desafio para a maioria. Mas o que poucos sabem é como a gamificação pode ajudar nesse processo.


O que é cultura organizacional?


Há diversas definições para o termo cultura organizacional e usando a conceituação feita pelo The Business Dictionary, vemos que essa cultura


inclui as expectativas, experiências e filosofia da organização, bem como os valores que orientam o comportamento dos membros e são expressos na autoimagem, no funcionamento interno, nas interações com o mundo externo e nas expectativas futuras.

Isso atribui à cultura organizacional a função de fazer com que os valores e a missão da empresa realmente estejam presente na rotina dos funcionários. Essa cultura se manifesta em elementos bem além do cumprimento de regras formais impostas pela gestão, podendo ser vista em crenças, costumes, visão, valores, símbolos, linguagem, e até na estrutura física da empresa - ou seja, tudo o que forma sua identidade.


O importante é buscar manter muito bem alinhado essa cultura organizacional com as outras estratégicas da marca, sejam elas financeiras ou operacionais, para nunca perder de vista o propósito e a missão de sua empresa.


O trabalho de mantê-la é constante e deve ser incorporado na rotina da gestão e reforçado sempre que houver a oportunidade, apontando para os colaboradores o quão importante é acreditar no serviço que está sendo prestado.


Porque é importante ter essa cultura em sua empresa?


Quando uma empresa inicia o processo de criar a identidade da marca, o branding, uma importante parte é deixar bem claro quais são seus valores, missão e visão, e a cultura organizacional entra para auxiliar em colocar na prática o que foi definido no papel. Ela deve ser vista pela equipe gestora como um meio de alcançar os objetivos da empresa.


Uma companhia que tem como missão tornar-se, entre outras coisas, uma referência em seu ramo de trabalho no Brasil e possui uma forte cultura de busca por inovação, está disposta a sair de sua área de conforto e assumir riscos é uma empresa que possui suas diretrizes alinhadas com a cultura organizacional.


E essa cultura está começando a ser bem vista pelas equipes de liderança, como fica claro em um estudo feito pela Universidade Duke, o qual reuniu a opinião de 5 mil executivos estadunidenses e europeus a respeito da cultura organizacional. 90% dos entrevistados creem que ela interfere bastante nos resultados, mesmo que apenas 15% disseram que possuem uma cultura organizacional bem consolidada em suas empresas.


É importante que todos os trabalhadores saibam qual é o propósito, os valores e a missão que sua empresa busca. Tal alinhamento é importantíssimo, pois trás um significado para as ações que estão sendo realizadas, fazendo com que todas sejam feitas em busca de atingir esse propósito.


Esse alinhamento dos funcionários com os valores da empresa beneficia ambas as partes, já que pessoas motivadas e que acreditam no trabalho que estão exercendo fazem toda a diferença em uma companhia (nós já fizemos um post trazendo resultados reais que uma equipe motivada trás para onde trabalham, basta clicar aqui para ter acesso).


A cultura organizacional auxilia na transição dos colaboradores para dentro da empresa e deixa todos na mesma página, facilitando a trilha de cada um como funcionário, e no processo acaba fortalecendo a imagem da companhia. Ao valorizar seus empregados, será aberto um caminho de oportunidades de crescimento e promoções pra todos, o que gera uma boa construção da marca no mercado.


Os 3 elementos da cultura organizacional


A cultura organizacional conta com três etapas de construção, sendo elas artefatos, valores compartilhados e pressuposições básicas:


  1. O primeiro nível da cultura organizacional são os artefatos, sendo eles a parte mais visível. Trata-se de situações que todos passam ao se deparar com uma organização, incluindo os padrões dos funcionários, os produtos, serviços e comportamentos.

  2. Os valores compartilhados são o segundo nível do processo. Nessa fase estão os valores importantes que são compartilhados no ambiente organizacional, valores os quais deixam claro a razão de cada colaborador gostar do que faz.

  3. Por fim há as pressuposições básicas, as quais compõem o nível mais profundo da cultura organizacional. Ele representa o modo de agir dentro do ambiente organizacional, incluindo situações não definidas pela gestão da empresa, ou seja, o modo de agir que não é guiado por diretrizes formais. Crenças inconscientes, percepções, pressuposições e sentimentos que ditam as ações das pessoas são definidas nessa etapa.


Onde a gamificação entra nesse assunto?


Para que os funcionários realmente levantem a causa da empresa, é preciso que algo além do salário os mova. Essa motivação deve vir de dentro, de elementos intrínsecos. É de extrema importância a aplicação de dinâmicas para que os valores pregados pela companhia e tão mencionados nesse texto seja reforçado e sua importância ressaltada.


Diversas técnicas da gamificação trabalham essa motivação intrínseca de uma maneira lúdica, com gatilhos motivadores encontrados em jogos. Um dos diversos exemplos existentes é a framework Octalysis, na qual metade dos core-drives possuem o design de trazer a tona sentimentos que podem ser aproveitados no ambiente institucional.


Durante o design de um projeto gamificado há a inclusão tanto de elementos extrínsecos e intrínsecos e, quando o referencial teórico usado é o método desenvolvido por Yu-Kai Chou, o que integra a motivação que é independente de incentivos materiais são


o empoderamento do usuário, no caso o funcionário, através da expressão de sua criatividade, seguido de um feedback de seus superiores e de seus colegas a respeito de suas ideias;
o fortalecimento de relações sociais, pois a influência social e o ato de se reconhecer no outro gera uma competição saudável;
o terceiro componente dos elementos do “Right Brain” se refere a elementos que tragam surpresas, trabalhando a imprevisibilidade e curiosidade

Ainda existem mais cinco core drivers da Octalysis, além de outras técnicas aplicadas em um projeto gamificado que são usados pela Orc’estra e que podem te auxiliar nessa jornada de consolidar uma cultura organizacional em sua empresa. Se quiser ver mais detalhes sobre esse tema, leia nossos posts Octalysis, o framework de Gamificação que você precisa conhecer! e As 6 etapas para Desenvolver uma Gamificação.


Para saber mais sobre gamificação e seus benefícios fique a vontade para ler nosso post "O que é gamificação e como ela pode mudar a sua vida", para navegar pelo blog, nos seguir nas redes sociais (Linkedin, Instagram e Facebook), ouvir nosso podcast ou entrar em contato conosco!

11 visualizações

© 2020 por Orc'estra Gamificação. Todos os direitos reservados.

  • iconeFace
  • iconeInsta
  • iconeLinkedin
  • iconEmail
iconeUnB.png